Observatório do Setor

Após anos com o saldo negativo, o Brasil passou a ter uma balança comercial de petróleo e derivados positiva a partir de 2016. O principal motor desta mudança foi o crescimento da produção nacional e a consequente redução da dependência de importações, que elevou o saldo da balança para US$ 11,4 bilhões em 2019. Em 2020, mesmo com o preço internacional do petróleo menor que no ano anterior e as consequências da pandemia, o saldo da balança comercial de petróleo e derivados obteve seu recorde da série histórica, resultado de uma queda das exportações menor que das importações.