Tecnologia e Inovação

Como Atuamos


O IBP desenvolve, em conjunto com seus associados e especialistas, políticas e linhas de atuação para todos os setores e demandas da indústria de petróleo, gás e biocombustíveis. Veja nossas atividades, propostas, iniciativas e prioridades em cada uma das áreas de atuação do Instituto.

Tecnologia e Inovação


A área de tecnologia e inovação tem como missão incentivar a pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para a solução dos desafios tecnológicos da indústria e ampliação do conteúdo local, bem como a formação de recursos humanos especializados e a regulamentação das atividades de fomento de PD&I.

A sua atuação respalda-se na defesa do desenvolvimento tecnológico e na inovação dos produtos e serviços promovendo e apoiando ações no sentido de contribuir para que as empresas associadas ampliem suas atividades de PD&I. Além disso, a área avalia os mecanismos de financiamento e de incentivos fiscais governamentais para PD&I, propondo adequações, quando necessárias e divulgando informações sobre fontes de financiamento, de desenvolvimento tecnológico, de infraestrutura laboratorial e de formação de recursos humanos especializados.

Programa IBP de Bolsas de Mestrado


A Gerência coordenou no período de 2007 até 2017, o Programa IBP de Bolsas de Mestrado, que tinha como objetivo contribuir com a formação de profissionais capacitados para atuar no setor de petróleo e gás natural, e de estimular o desenvolvimento de atividades acadêmicas condizentes aos seus interesses, promovendo a sinergia entre a indústria, as Instituições de Ensino e os futuros especialistas do setor.

Foram distribuídas 55 bolsas em 10 estados brasileiros. As dissertações de mestrado aprovadas estão disponibilizadas para acesso pela comunidade no CID – Centro de Informação e Documentação, para fazer o download da dissertação na íntegra, acesse a biblioteca.

[SITE] IBP - TECNOLOGIA - CUT INFOGRAFICO

Radar Tecnológico 2016


O baixo preço do petróleo combinado à instabilidade econômica do país se tornou um “elemento desacelerador da inovação no Brasil”. É o que aponta o Radar Tecnológico – Petróleo e Gás Natural publicado pela Lloyd’s, em parceria com o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP). O documento foi apresentado na abertura da Arena de Tecnologia, durante a Rio Oil & Gas 2016.

O estudo teve como base uma pesquisa realizada com mais de 240 empresas atuantes no setor brasileiro de petróleo e gás natural, explorando seu comportamento em relação a novas tecnologias e inovações em um momento crítico para a economia do país.

Por meio deste trabalho, foram levantados os maiores obstáculos à inovação hoje no Brasil e quais são os desafios à implantação de novas tecnologias. O estudo também examina o impacto de políticas específicas do setor, como a Regulamentação da cláusula de PD&I, que estabelece que 1% do faturamento bruto das empresas de exploração de petróleo e gás natural seja investido em pesquisa e desenvolvimento no país.  Há ainda uma classificação das tecnologias potencialmente revolucionárias, no que diz respeito ao impacto a curto e longo prazos que elas terão no setor.

De acordo com o estudo, as tecnologias selecionadas como tendo alto impacto no curto prazo foram as que passaram por melhorias incrementais em tecnologias existentes, como a robótica submarina e outros avanços em equipamentos para águas profundas. No longo prazo, as tecnologias que os participantes acreditam que terão maior impacto incluem avanços em software, como a nanotecnologia, e avanços na modelagem de fluxo no campo pela sísmica.

Ainda segundo o levantamento, embora metade dos entrevistados tenha dito que a cláusula de investimento em P&D sobre a produção de petróleo e gás natural foi positiva para o setor, quando perguntados sobre os detalhes específicos da política, como, por exemplo, seu nível de flexibilidade para se ajustar ao preço do petróleo, os entrevistados disseram que há muito o que aprimorar.

Já “melhorar o ensino e as habilidades técnicas e reduzir a corrupção” aparecem no topo da lista de sugestões para melhorar a base de fornecedores do Brasil, e 1/5 dos entrevistados afirmaram que a corrupção também é o maior obstáculo para lançar uma nova tecnologia e inovações no mercado.

Clique aqui para acessar o Radar Tecnológico Petróleo e Gás

 

Comissões


Comissão de Instrumentação e Automação
Comissão de Tecnologia da Informação
Comissão de Tecnologia e Inovação

 

Caso tenha interesse em participar de alguma das comissões técnicas do IBP, entre em contato com a Área de Relacionamento.

Voltar