Observatório do Setor

A produção global de biocombustíveis (etanol, biodiesel e HVO) cresceu mais de 10 vezes entre 2000 e 2019. Dos 2,8 milhões de barris por dia (b/d) produzidos em 2019, os EUA responderam por 1,2 milhão b/d (41,8%) do total, seguidos pelo Brasil com 723 mil b/d (25,7%). Nesse mesmo ano, a produção cresceu em todas as grandes regiões produtoras, apesar de uma taxa menor que na década anterior. Esse crescimento se traduziu em menores preços para o etanol e o biodiesel, que também foram afetados por diversas políticas: subsídios, taxações diferenciadas e/ou misturas obrigatórias nos combustíveis.
 
Em 2020, a pandemia da Covid-19 também impactou o setor de biocombustíveis, diante das restrições de mobilidade e a queda dos preços dos combustíveis fósseis a produção chegou a cair cerca de 12%, a primeira queda anual em duas décadas.
 
Até 2025, a Agência Internacional de Energia estima que a produção global cresça 14% ante o recorde de 2019, com o maior avanço ocorrendo na Ásia e Pacífico. Para o Brasil, a projeção é de um aumento de cerca de 7,5% nesse período, sendo responsável pelos maiores aumentos no consumo e produção de etanol.