Notícias

O IBP promoveu, no último dia 24, em sua sede, o Fórum de Auditorias de Pilotos de Inspeção Não Intrusiva (INI), com o objetivo de avaliar o desenvolvimento das Auditorias de Pilotos de INI, realizadas em 2018 e 2019. Organizado pela Gerência de Certificação do IBP, o evento contou com a participação de empresas que têm Serviços Próprios de Inspeção de Equipamentos (SPIE) certificados que já passaram pelo processo de auditorias de Pilotos de Inspeção Não Intrusiva (INI), além de auditores e membros das Comissões de Certificação (ComCer) e de Imparcialidade (ComImp).

Destaques da programação

Pela ComCer, Francisco Marques apresentou o projeto multicliente Harwell Offshore Inspection Services (HOIS) e a perspectiva das empresas sobre as auditorias de Piloto de INI. Já Alexandre Paladino, Auditor Fiscal na Subsecretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério da Economia, destacou a importância da adoção de novas tecnologias nos regulamentos técnicos de segurança, como a NR-13, enquanto Edson Funcke alertou para a necessidade de capacitação contínua dos trabalhadores envolvidos neste processo.

As principais técnicas utilizadas nesta metodologia de inspeção foram abordadas por Arilson Rodrigues, da Araújo Engenharia, e Gustavo Brito, da Brito & Kerche. Em seguida, Luiz Moschini, Fernando Gazini e Augusto Magalhães, auditores de SPIE, expuseram suas percepções sobre o tema. Crystiano Bastos, da Petrobras, Alexis Fernandes Carvalho, da Transpetro, Antônio Carlos Ribeiro, da Braskem, e André Louro, da Equinor, trouxeram suas experiências como auditados neste processo.

Odilon Horta, Gerente de Certificação do Instituto, apresentou um balanço das auditorias de Pilotos de INI que tiveram início em 2018. Por fim, Luis Carlos Greggianin, da Braskem, detalhou os procedimentos adotados e resultados alcançados em uma unidade da empresa, a primeira homologada pelo Organismo de Certificação de Produto do IBP (OCP|IBP), para aplicar a metodologia INI no Brasil.

Lições aprendidas e próximos passos

Durante o encontro foram identificados pontos de melhoria para a ABNT NBR 16455, que trata da técnica de inspeção não intrusiva e suas metodologias para avaliação de integridade de vasos de pressão.

Também foi apontada a necessidade de inclusão de requisitos para auditorias de pilotos de inspeção não intrusiva nas Portarias do INMETRO 537 e 582, de 2015, que regulamentam a Certificação de SPIE no Brasil. Outras sugestões foram direcionadas para ajustes em alguns dos procedimentos internos do OCP|IBP.

“Nós já havíamos identificado as necessidades desses ajustes. O processo está se desenvolvendo bem há um ano e meio. Auditamos nove instalações até agora e temos mais uma auditoria programada até o final de 2019. Então, é hora de repensar. Consolidaremos todas as propostas apresentadas neste Fórum, com o objetivo de termos, já no primeiro trimestre de 2020 alguns documentos revisados”, declarou Odilon Horta.